“A ciência aprende uma lição da natureza”

ESSA foi a manchete do jornal The New York Times, de 31 de agosto de 1993. O artigo comentou que um crescente número de cientistas que projetam novos materiais tem-se dedicado ao ramo da biomimética.

O Times definiu biomimética como “estudo da estrutura e da função de materiais biológicos como modelos para materiais criados artificialmente”.

O artigo mencionou que animais marinhos inferiores e aranhas fabricam materiais superiores às substâncias similares que os cientistas conseguem fabricar hoje. A orelha-do-mar, por exemplo, extrai da água carbonato de cálcio, de que é feito o giz, e faz placas de espessura microscópica.

Daí, ela cimenta muitas dessas placas com uma argamassa de proteína e açúcares. O Dr. Mehmet Sarikaya diz que a estrutura da concha é 30 vezes mais forte e mais resistente do que o carbonato de cálcio comum, fabricado em laboratório.

“Não temos tecnologia para fabricar camadas tão finas desse material quanto as das conchas marinhas”, admite.

De modo similar, a seda da teia de aranha é mais forte do que o aço e mais durável do que o náilon. Cientistas estudam a seda na esperança de fabricar fibras mais fortes do que o kevlar, substância usada na confecção de coletes à prova de bala. Mas, os complexos processos de fabricação empregados pela aranha ainda estão além de duplicação pelos humanos.

“As aranhas produzem seda usando água como solvente, ao ar livre e à temperatura e à pressão ambientes, e a seda passa por todos esses estágios para tornar-se uma teia estável, impermeável, de grande resistência”, comentou o Dr. Christopher Viney, da Universidade de Washington, em Seattle. “Porém, para produzir uma fibra resistente como o kevlar, é preciso fabricá-la sob alta pressão, usando ácido sulfúrico concentrado.”

Assim, esse cientista admite: “Temos muito a aprender.”

Pense nisso. Se o que há de melhor na tecnologia humana não consegue produzir o que criaturas marinhas inferiores e aranhas produzem, não parece razoável crer que essas criaturas sejam obra de uma inteligência superior?

Sabiamente, reconhecemos que todo o mérito cabe ao Grande Projetista — cuja obra os cientistas hoje se empenham em imitar — por Sua incomparável engenhosidade ao encher a Terra com suas criações. — Salmo 104:24.


FONTE: https://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/101994285#h=3:159-3:630

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Faça parte da nossa lista de emails

Nunca perca uma atualização